Quem cresceu nos 1980 provavelmente se lembra da Rosie, a robô Jane, a mãe e dona de casa do desenho futurista Os Jetson. A secretária do lar e babá andróide era extremamente eficiente, mesmo com uma personalidade um pouco autoritária e estando um pouco ultrapassada no quesito tecnologia.

E o que até poderia parecer ficção científica se tornou realidade, para alegria de todos que precisam daquela mãozinha nos serviços domésticos. E no quesito tecnologia, os robôs limpadores nunca estiveram tão em dia com os avanços, ao contrário da fictícia Rosie e seus braços de lata.

Mesmo que a palavra robô ainda desperte algum tipo de fantasia no imaginário das pessoas, não haveria termo melhor para descrever os limpadores automatizados que estão chegando às casas do mundo, intensificado o conceito de smart house.

Limpador de piso

Limpar o chão, convenhamos, não é uma das atividades domésticas mais fáceis de se fazer, principalmente para ambientes que ainda não possuem um revestimento fácil de desempoeirar, como o piso laminado ou outros de superfície lisa e linear. Dependendo do tamanho da casa, varrer, aspirar e passar pano pode tomar algumas boas horas e muita força nos braços e na coluna.

Para resolver esse impasse, os robôs aspiradores são uma opção disponível em modelos de diversas faixas de preço e diferentes configurações. Em alguns deles, basta apertar um botão e o limpador passeia pelo chão (e colocar seu gatinho vestido de tubarão em cima), aspirando e limpando a poeira, cabelos e pelos. Seus sensores permitem que os objetos andem pela casa sem trombar nos móveis, paredes ou mesmo entrem debaixo das camas, sofás e estantes.

Eles também “sabem” se poupar: quando a bateria está acabando, o robô volta sozinho para a base para se recarregar e começar um novo ciclo de limpeza. Algumas versões mais avançadas podem ser controladas pelo smartphone.

Robô limpa-vidros

Imagine não precisar mais limpar e remover manchas de vidros das portas ou das enormes janelas, principalmente as mais altas e mais difíceis de chegar com panos e rodos. Os robôs limpadores de janela contam com uma estrutura que traz ventiladores potentes de sucção, fazendo o equipamento se prender na superfície vertical do vidro para então começar a limpeza.

Além de sugar a poeira, ele conta com pequenos e macios esfregões giratórios que passam delicadamente pelas vidraças e sensores que o levam aos cantos mais difíceis de chegar.

À prova d’água: robô limpador de piscina

Limpar a piscina com uma peneira e um cabo extensível não é a tarefa mais simples do mundo, pois requer um tanto de equilíbrio e habilidade para, literalmente, pescar a sujeira da água. Há tempos os robôs limpadores de piscina podem ajudar a livrar desse esforço.

Capazes de trabalhar em piscinas extensas, os robôs submergem e começam simplesmente a “andar” e sugar a sujeira do fundo. Os resíduos ficam presos em um filtro, que deve ser limpo pelo usuário.

Quanta tecnologia!