Apesar de ser a única certeza absoluta na existência humana, a morte ainda é um tabu em diversas sociedades. A finitude da vida humana é um momento delicado e gerador de um grande peso emocional. Falar sobre o tema é sempre uma tarefa difícil, que requer sensibilidade e clareza. O simples ato de se pensar na morte ainda é muito desconfortável até para os adultos. Entre as condolências, coroa de flores e cortejo, as emoções e medos se fundem em pesar, tristeza e angústia, levando tempo para serem processadas e superadas através do luto.

E o assunto se torna ainda mais complicado quando há a necessidade de tratá-lo com as crianças. Quando acontece a perda de um animal de estimação, ou nos casos de falecimento de algum familiar ou adulto de referência, as crianças ainda não contam com um repertório de mundo capaz de compreender a complexidade da morte. O intelecto infantil começa a desenvolver este conceito tão abstrato por meio das associações, ou seja, juntando novos fatos ao mundo que ela já conhece.

Pensando nisso, um cemitério austríaco encontrou uma alternativa lúdica para ajudar a abordar o assunto. Conhecido como Museu do Funeral, o Bestattungsmuseu criou cenários fúnebres a partir das conhecidas peças de LEGO. 

Lidando com a morte de maneira lúdica

Famoso por ser um dos maiores do mundo, com mais de 330 mil covas e sepulturas, o cemitério central de Viena abriga nomes ilustres de a história da capital. Por lá estão compositores clássicos como Joaham Strauss e Ludwig van Beethoven. E agora comercializa esses inusitados brinquedos.

De acordo com o porta-voz do Bestattungsmuseu, Dr. Florian Keusche, ao site Bored Panda, as primeiras peças funerárias de LEGO desenvolvidas, em 2016, reproduziam contexto históricos, como o bonde que levava os corpos até o cemitério durante a Primeira e Segunda Guerras Mundiais. Ainda segundo Dr. Keusche, os próprios consumidores que faziam perguntas como “Podemos levar nosso filho ao funeral de nosso avô?” ou mesmo “Meu filho está de luto. O que posso fazer?”.

Foi daí que a equipe do museu teve a ideia de produzir outras cenas com as peças de brinquedo. Keusche afirma que o projeto teve integração com a Associação Vienense de Psicoterapeutas e que os cenários em LEGO são úteis para pais com filhos que enfrentam perdas, permitindo que eles descrever este processo delicado para a criança, que também terá meios de processar essas novas informações.

Estas não são peças de LEGO oficiais e foram desenvolvidas em parceria com uma  empresa austríaca. Os cenários que representam cemitérios, carros funerários, cortejos com carroças até mesmo um crematório variam de 29,90 € a 112 € e estão à venda no site do museu.